Áreas contaminadas são passivos ambientais muito frequentes no brasil, mas muitas vezes não são tomadas as providências corretas e cuidados necessários para seu gerenciamento.

No estado de São Paulo, por meio do DECISÃO DE DIRETORIA Nº 103/2007/C/E, de 22 de junho de 2007, a CETESB dispõe sobre o gerenciamento de áreas contaminadas, sendo portanto definidos procedimentos iniciais adequados para a identificação, priorização e investigação destes passivos ambientais.

Esse processo de identificação tem como objetivo principal definir a existência e a localização das contaminações.

Primeiramente, a CETESB, com a identificação das áreas com potencial de contaminação (APs) e priorização ou através do recebimento de denúncia ou reclamação referente à ocorrência de possíveis vazamentos, define possíveis áreas a serem colocadas sob avaliação.

Tendo assim uma área sob avaliação, o primeiro passo é a realização de uma Avaliação Preliminar, que tem tem como objetivo principal constatar evidências, indícios ou fatos que permitam suspeitar da existência de contaminação na área, por meio do levantamento de informações disponíveis sobre o uso atual e histórico da área.

Caso confirmado uma real possibilidade de contaminação, o segundo passo é a realização de uma Investigação Confirmatória, que tem como objetivo confirmar a existência de contaminação através da coleta de dados em campo, análise química de amostras e interpretação dos resultados com base nos valores de intervenção para solos e águas subterrâneas estabelecidos pela CETESB.

Dependendo dos resultados, outras etapas mais complexas são necessárias em sequência, passando por investigações mais detalhadas até a total reabilitação de áreas contaminadas.

Conheça o nosso serviço de investigação e tratamento de passivos ambientais
Clique Aqui
Conheça o nosso serviço de investigação e tratamento de passivos ambientais
Clique Aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *