Andar de bicicleta a noite sempre foi um problema em questão de segurança, mesmo com as luzes comercializadas comumente os motoristas não enxergam os cisclistas. Foi pensando nisso que desenvolvi esse projeto e coloquei luzes nas rodas da minha bicicleta.

Além disso, é quase natal e colocar luzinhas na bicicleta é quase como colocar luzinhas na árvore de natal. Assim, hoje eu vou ensinar a colocar luzes nas rodas da sua bicicleta, anote ai o que será necessário:

  • Lâmpadas de LED diodo de alto brilho: na quantidade e cores que desejar
  • Resistências: em quantidade similar a quantidade de LEDs (vou explicar abaixo)
  • Fios
  • Fita isolante
  • Solda
  • Interruptor
  • Conector de bateria 9V (Volts)
  • Bateria 9V

Eu gastei em torno de 20 reais na compra dos materiais (sem a bateria) por roda, dependendo da qualidade e da quantidade de materiais esse custo pode variar. Eu fiz com 12 LEDs em cada roda, e precisei de 6 resistências (uma para cada par de LED).

É importante sempre usar resistências para proteger os LEDs caso contrário, a sua vida útil reduz drasticamente. Além disso, temos que saber qual resistência escolher.

Nesse projeto eu usei:

  • 6 LEDs brancas
  • 6 LEDs azuis
  • 12 LEDs vermelhas
  • 6 resistências de 150 ohms
  • 6 resistências de 220 ohms

Se você quer fazer com outras cores ou outra quantidade de LEDs, será necessário fazer alguns cálculos, na sequência eu explico como.

Na minha roda da frente, por exemplo, eu escolhi usar LEDs azuis e brancas, assim é possível definir as resistências que iria utilizar, é muito fácil seguindo a tabela abaixo:


Se você escolher colocar uma LED azul e uma branca em série, sabemos que cada uma delas “consome” 3V de tensão, então em uma bateria 9V dá para colocar até 3 LEDs dessas em série (uma após a outra). Porém como temos que inserir uma resistência, então usaremos uma de cada cor, sobrando 3V para a resistência, assim o valor da resistência pode ser calculado:


Portanto precisamos de resistências de 150 ohms. É importante notar que as resistências disponíveis no mercado tem valores fixos, ou seja, há resistência de 51, 56, 68, 75, 100, 110, 150, 200, 220, 300, 620, e etc.

Também, como nem todas as resistências são facilmente encontradas para se comprar, a minha sugestão é escolher uma resistência mais próxima do valor calculado.

Além disso, não podemos deixar de considerar que as LEDs podem consumir mais ou menos tensão dependendo do fabricante, então vale a pena ter em mente que você pode ter que refazer essas contas e mudar o seu projeto. Se preferir pode utilizar esse site para fazer as contas.

Agora vamos ligar tudo para poder instalar na roda, uma dica minha é testar o seu projeto antes de enrolar e soldar fios, para ter certeza que vai dar tudo certo.

No meu projeto eu liguei os pares de LED e uma resistência em série e depois liguei tudo em paralelo como na imagem abaixo.


Nessa configuração o meu projeto poderia ter de pelo menos um par a vários pares de LED, aqui é importante notar que LEDs de menos podem não dar um resultado tão legal e LEDs de mais podem fazer com que a sua bateria dure bem menos tempo, temos que balancear. Eu escolhi seis pares (12 LEDs), porque consigo uma boa distribuição nos aros da roda.

Ao ligar o circuito, pense em qual distância você quer que os LEDs fiquem do pneu, isso vai mudar o tamanho que você tem que cortar seus fios, eu escolhi fazer dois aros, um a 3 cm (branco) e outro a 10cm (azul) do pneu.

Antes de ligar, é necessário ter em mente que os LEDs são diodos, ou seja, a corrente flui apenas em um sentido neles, então é importante ligar o polo positivo do LED no polo positivo da bateria, e negativo no negativo. Existem quatro formas de saber qual o positivo e qual o negativo de um LED.

      1. A perna mais curta do LED é o polo negativo
      2. O lado achatado da cabeça é o polo negativo
      3. Dentro da lâmpada do LED, há um eletrodo (plaquinha de metal) menor, esse é o negativo
      4. Testando

Agora você já pode ligar tudo. Comece ligando as LEDs em série com a resistência, no meu projeto, como eu ia ligar dois LEDs em série, e escolhi fazer dois aros de cores, eu liguei as LEDs de forma que eu pudesse passar os fios pelos aros da roda e a bateria ficasse no centro da roda. A imagem abaixo apresenta uma ligação em série com dois LEDs e uma resistência.


Depois de ligar em série, use dois fios de uns 8cm para ligar tudo em paralelo e ao conector da bateria. É importante verificar se 8cm é o bastante para dar a volta no interior da sua roda.

Coloque, também, entre um dos polos da bateria e do circuito o interruptor, é bom para que você não tenha sempre que remover a bateria quando for estacionar a bicicleta.

Lembre-se de usar solda e fita isolante para juntar as peças do seu projeto, você pode usar tubo de vedação se quiser dar um acabamento mais elegante, o que também ajuda a tornar o sistema a prova de água. ATENÇÃO: tenha cuidado ao soltar e ao utilizar fogo ou materiais quentes.

Para a bateria, eu sugiro colocar dentro de um envólucro, como um tubo de filme fotográfico antigo ou um tubo de mini m&ms (chocolate), assim você pode fixar o tubo na roda com uma presilha e trocar bateria com facilidade quando necessário. Cuidado para deixar tudo mais a prova de água o possível.

Para fixar os fios na roda, utilize fita isolante mesmo, pois essa é uma fita que irá resistir bem ao movimento da bicicleta, ao sol e a água. Evite fixar o circuito do lado da roda que fica o sistema de marcha da sua bicicleta e tenha certeza de que os circuito está bem fixado e todo na parte interna da roda.


Pronto! Agora você já tem as suas luzes personalizadas, basta sair pedalando. Relaxe, você não precisa tirar as luzinhas da bike quando terminar o natal.


Se você quer algo a mais, você deveria conhecer as monkey lights, que foram a minha inspiração para esse projeto. Quem sabe um dia eu não tento montar algo com um micro controlador como um Arduino e uma fita de LEDs RGB para variar as cores das rodas.

Conheça os nossos serviços relacionados à mobilidade urbana
Clique Aqui
Conheça os nossos serviços relacionados à mobilidade urbana
Clique Aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *